9 retratos traduzem a dor e a bravura de veteranos norte-americanos feridos nas guerras do século XXI

Uma das consequências mais tristes de qualquer conflito armado é a legião de veteranos que, muitas vezes, voltam para casa com sequelas gravíssimas — de queimaduras a amputações múltiplas. Desde o 11 de Setembro, porém, os norte-americanos passaram a encarar o duro desafio de reintegrar seus ex-combatentes à sociedade com mais respeito e naturalidade. Não há dúvidas que o regresso de militares que lutaram no Iraque ou na Síria tem sido muito mais humano do que à época da Guerra do Vietnã, por exemplo. Mas o fato é que a batalha nunca terá fim para esses veteranos.

CONHEÇA E CURTA O TUDO DO BEM NO FACEBOOK

Em uma tentativa de humanizar ainda mais esses personagens, o fotógrafo norte-americano David Jay — visite o site oficial — lançou o projeto “The Unknown Soldier” (“O Soldado Desconhecido”). Ele reúne retratos poderosos de militares feridos durante o combate, de volta ao seu dia a dia nos Estados Unidos. “As imagens podem ser desconfortáveis para alguns. Elas nos obrigam a confrontar medos e inibições sobre a vida, a morte, a sexualidade e a doença, entre outros. A realidade nem sempre é bonita. E isto é a realidade”, diz o fotógrafo em seu site.

Confira 9 retratos de veteranos norte-americanos clicados por David Jay.

Nicholas John Vogt, ferido na Afeganistão:

 

Jerral Hancock, ferido no Iraque, com um dos seus filhos:

VEJA MAIS: Empresa transforma capas para próteses em arte e ajuda a melhorar a vida de amputados

Joel Tavera, ferido no Iraque:

 

Bobby Bernier, ferido no Iraque:

VEJA MAIS: Artista sírio transforma líderes globais em refugiados para série de retratos

Jason Pak, ferido no Afeganistão:

 

Marissa Strock, ferida no Iraque:

 

Tomas Young, ferido no Iraque:

VEJA MAIS: Professor carioca toca violão para os alunos durante tiroteio e vídeo viraliza no Facebook

Matt Smith, ferido no Afeganistão:

 

Bobby Henline, ferido no Iraque:

 

arrow