Carros autônomos, robocops e drones: como Dubai está criando a polícia do futuro

Dubai, maior cidade dos Emirados Árabes Unidos, é conhecida como a capital mundial do luxo. Há algum tempo, um dos símbolos mais marcantes da riqueza local é a sua frota policial. Por lá, é comum ver máquinas absurdamente caras — carros do naipe de um Bugatti Veyron ou de um Lamborghini Aventador, por exemplo — circulando pelas ruas como um camburão (#sqn). Mas essas cenas podem estar com os dias contados.

A polícia de Dubai caminha a passos largos para se tornar a mais moderna do planeta. Em maio deste ano, as forças de segurança da cidade apresentaram seu primeiro robô-policial (foto abaixo). Desenvolvido pela espanhola PAL Robotics, o andróide mede 1,70 metro e sai de fábrica “falando” nove línguas. Graças a seu sistema de reconhecimento facial e à inteligência artificial embarcada, o robocop foi escalado para trabalhar diretamente com o público, respondendo questões e interagindo com cidadãos e turistas.

VEJA TAMBÉM: Drone mostra detalhes da nova sede da Apple, o prédio mais inovador do planeta

Mas a revolução tecnológica não para por aí. Na semana passada, as autoridades de Dubai anunciaram o plano de colocar nas ruas 100 unidades do veículo autônomo O-R3 (foto abaixo), nos próximos três anos. Criado em Cingapura, ele pode ser considerado um robô sobre quatro rodas. Com dimensões reduzidas, o carrinho é uma verdadeira central de vigilância e inteligência.

CONHEÇA E CURTA O TUDO DO BEM NO FACEBOOK

VEJA TAMBÉM: Edredom inteligente esquenta de um lado e esfria do outro

Câmeras de alta definição dão a ele uma visão de 360 graus, com alcance de 100 metros, integrada a sistemas de reconhecimento de placas de veículos e ao banco de dados da polícia. Caso alguma atividade suspeita seja detectada, um aplicativo (abaixo) instalado nos smartphones de policiais de carne-e-osso solicitará a presença de reforços.

VEJA TAMBÉM: Conheça o parque aquático especialmente criado para crianças e adultos com deficiências

Além disso, um sistema de geolocalização de última geração faz com que cada unidade O-R3 siga seu trajeto de forma autônoma, sem a necessidade de condução humana. Para completar o pacote, um drone com câmeras de observação, acoplado na parte superior do veículo, levanta voo sempre que necessário. Tudo isso pela bagatela de US$ 10.000 (cerca de R$ 33.000) a unidade.

Quem sabe, um dia, nossos netos contarão com segurança semelhante nas ruas do nosso combalido Brasil.

arrow