Policial adota garoto depois de resgatá-lo de lar onde sofria maus-tratos

Em 2015, o policial norte-americano Jody Thompson, do estado de Oklahoma, recebeu um chamado sobre um caso de violência infantil. Ele mal sabia que o encontro com um garoto em sérios apuros mudaria sua vida para sempre.

Quando chegou ao local, Thompson achou o menino de 8 anos amarrado por cintos, abaixo do peso e coberto por ferimentos e queimaduras. Em seu pescoço, uma corda com um grande nó o segurava dentro de uma lata de lixo, cheia de água fria. “Não tinha um lugar no corpo dele que não estivesse machucado”, contou o policial à rede TV CBS. “Era a pior coisa que eu já tinha visto.”

Naquele momento, Thompson soube que sua vida estaria conectada para sempre com a do menino, que passou a ser chamado de John. No dia seguinte, o policial entrou com um pedido de custódia e, em 30 de Abril de 2015, pôde enfim levar o garoto para sua casa. Mas isso era apenas o começo.

VEJA MAIS: 9 retratos traduzem a dor e a bravura de veteranos norte-americanos feridos nas guerras do século XXI

Dois dias depois da chegada de John, a mulher de Thompson descobriu que estava grávida do terceiro filho do casal. “Já tínhamos um menino de 15 anos e outro de 8 anos. Quando trouxe John para casa, não contei nada sobre a adoção para eles”, contou o policial. “Mas todos sabiam que era o certo a fazer, mesmo antes de conhecerem a história.”

E as surpresas não pararam por aí. Sete meses depois de acolherem John, Thompson e sua mulher receberam a notícia de que a mãe do garoto havia dado à luz a uma menina na cadeia. Na sequência, a assistente social que procurou o policial perguntou se o casal não gostaria de adotar a bebê. E assim foi.

CONHEÇA E CURTA O TUDO DO BEM NO FACEBOOK

VEJA MAIS: Bebês prematuros ganham “formatura” ao deixar a UTI neonatal de hospital americano

Hoje, Thompson e sua mulher são os pais orgulhosos de cinco crianças.

“Nós passamos por algo ruim, mas não permitiremos que isso defina quem somos. Nós não vamos deixar que isso nos segure de alguma maneira”, disse o policial. “Tenha sempre compaixão, afinal, nunca sabemos o que podemos encontrar em nosso caminho.”

arrow