Top model reclama do uso excessivo de Photoshop em capa de revista. Pode isso?

De tempos em tempos, uma personalidade vem a público para reclamar da interferência digital em sua imagem. O embelezamento artificial é um dos recursos mais poderosos dos programas de manipulação de fotos e vídeos, como o célebre Photoshop, ostensivamente usado por editores de revista e diretores de arte que trabalham com publicidade.

CONHEÇA E CURTA O TUDO DO BEM NO FACEBOOK

Neste final de semana, a modelo norte-americana Emily Ratajkowski usou sua conta no Instagram para reclamar do uso excessivo de Photoshop em uma de suas fotos, publicada na capa da revista francesa “Madame Figaro”. De fato, a comparação entre a imagem publicada e a polaroid feita durante o ensaio (no alto desta página), postada pela modelo na rede social, mostra que partes do seu corpo foram reduzidas.

VEJA TAMBÉM: Concurso elege as fotos de animais mais hilárias do mundo

“Fiquei extremamente decepcionada ao ver meus lábios e seios alterados com Photoshop nesta capa de revista”, afirma a modelo, de 26 anos, no post acima. “Espero que a indústria da moda aprenda a parar de camuflar as coisas que nos tornam indivíduos únicos.”

VEJA TAMBÉM: Pais comemoram a “liberdade” no primeiro dia de aulas dos filhos. Pode isso?

Obviamente, nós do TUDO DO BEM concordamos que Emily tem todo o direito de reclamar. A distorção em sua imagem é claríssima. Mas também acreditamos que é preciso ponderar um pouco a respeito do tema.

Passei boa parte da minha carreira editando revistas, um trabalho apaixonante e autoral. Lembro com carinho dos momentos em que uma boa ideia materializou-se em um belo ensaio fotográfico ou em uma imagem singular, escolhida a dedo para ilustrar uma capa. Tive a honra de trabalhar com grandes diretores de arte, com quem colecionei inúmeras discussões a respeito do uso ou não do photoshop.

VEJA TAMBÉM: Depois de ser atropelado, coiote roda 30 km preso em carro. E sobrevive

E aquilo que aprendi com eles é relativamente simples. O recurso pode e deve ser usado, especialmente em fotos de beleza ou retratos. Mas é fundamental ter bom senso na hora de mexer nas características que tornam qualquer ser humano único. Há limite para tudo, afinal.

No caso desta infame capa da “Madame Figaro”, diria que se trata de um grande vacilo. E que alguém deve ter levado uma baita bronca do chefe na manhã desta segunda-feira…

  • arrow