Maioria dos romances não começam com duas pessoas apaixonadas, aponta estudo - Tudo do Bem

Maioria dos romances não começam com duas pessoas apaixonadas, aponta estudo

Maioria dos romances não começam com duas pessoas apaixonadas, aponta estudo

Está em busca de um novo amor? Então é melhor ficar atento a sua rede de amigos. Pelo menos é o que aponta um estudo científico divulgado na Social Psychological and Personality Science.

+ Domino’s vai dar pizza extra para quem tomou as 2 doses da vacina da covid-19
+ Conheça a história do marinheiro afro-americano que virou herói ao desafiar uma proibição
+ Doodle do Google celebra o 101º aniversário de Elizeth Cardoso
+ Empresa desiste de fazer “arma de Lego” após pressão de ativistas e ameaça de processo

A pesquisa contou com 1.897 participantes no Canadá e Estados Unidos. Dois terços dos entrevistados destacaram que o seu relacionamento amoroso atual ou o mais recente teve início como uma amizade, chegando a uma taxa de 85% no recorte dos LGBTQ+ na casa dos 20 anos. Quase todos os participantes destacaram que a relação de amizade começou sem segundas intenções.

Os resultados do estudo contrariam a teoria sustentada até então — inclusive por acadêmicos — de que é mais comum que duas pessoas se conheçam e se apaixonem em um curto período de tempo. O que explica o fato de a maior parte dos estudos da área tentarem explicar as razões que fazem despertar a química entre um casal de estranhos.

  • arrow