Parques de diversões no Japão proíbem gritos na montanha-russa – Tudo do Bem

Parques de diversões no Japão proíbem gritos na montanha-russa

Parques de diversões no Japão proíbem gritos na montanha-russa



Como parte do protocolo de reabertura por conta da pandemia do covid-19, a entidade que reúne os parques de diversões no Japão passou a recomendar que os visitantes não gritem enquanto estiverem em montanhas-russas.

+Coreia do Sul faz espetáculo com 300 drones para lembrar importância do uso de máscaras
+Kanye West retoma construção de casas populares
+Nasa abre site para quem quiser enviar nome para Marte

Para garantir que a determinação seja seguida e para rebater os visitantes, que reclamaram ser impossível ficar quieto na montanha-russa Fujiyama, onde o carrinho atinge velocidades de até 130 km/h, o Fuji-Q Highland, localizado próximo de Tóquio, decidiu produzir um vídeo em que dois executivos permanecem sérios e quietos durante o passeio (confira abaixo).

Em seguida, a empresa lançou um desafio, em que os visitantes que conseguissem postar vídeos sérios e usando máscaras durante o passeio seriam iriam participar de um sorteio para ganhar um par de ingressos para um nova visita. De acordo com jornal The Guardian, a campanha tem atingido os objetivos definidos pela administração do local.

Veja também

+ Golden retriever obeso é abandonado, ganha nova família e perde 45 kg

+ Artista recria rostos de imperadores romanos

+App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+McDonald’s vende molho especial pela primeira vez no Brasil

+ No Twitter, aparecem fotos do navio que transportou nitrato de amônio para Beirute

+ Dicas fáceis de como limpar panela queimada

+ 5 minissuculentas que vão trazer muito charme à sua casa

+ Saiba mais sobre a vacina BCG, uma das mais importantes da infância

+ 4 passos fáceis para limpar o espelho com produto caseiro

+ Sylvester Stallone coloca seu Cadillac Escalade personalizado à venda; confira!

+ Veja cinco coisas que provocam mau cheiro em cães e saiba como combatê-las

+ Fazer o bem alivia dores físicas e mentais, aponta estudo

  • arrow