Homem resolve mistério e abre cofre lacrado em museu há 40 anos — saiba o que ele achou – Tudo do Bem

Homem resolve mistério e abre cofre lacrado em museu há 40 anos — saiba o que ele achou

20 – 40 – 60

Usando essa simples combinação, um visitante do museu municipal de Vermillion, pequena cidade canadense com pouco mais de 4.000 habitantes, conseguiu abrir um cofre que estava lacrado no porão da instituição há 40 anos. Ninguém sabia a combinação exata, o que alimentou a fantasia dos locais ao longo dos anos. Afinal, quais tesouros estariam guardados no móvel de quase uma tonelada?

CONHEÇA E CURTA O TUDO DO BEM NO FACEBOOK

O autor da façanha foi o soldador Stephen Mills, 36 anos, que visitava o museu ao lado da sua família. “Meu queixo simplesmente caiu no momento em que abri o cofre”, disse Mills ao site do jornal “The Washington Post”. “Estava só brincando com as crianças, tentando imitar as cenas que vemos nos filmes.”

VEJA MAIS: Circo alemão troca animais por hologramas e encanta o público

A história logo ganhou destaque na mídia local. O jornal “Vermillion Standard”, por exemplo, deu a notícia em sua primeira página (abaixo), sob o título “Código decifrado, mistério resolvido”.

VEJA TAMBÉM: Conheça a americana de 21 anos que já viajou para todos os 196 países da Terra

Mas, afinal, o que estava guardado dentro do cofre? Muitos moradores da cidade especulavam sobre jóias, dinheiro ou ações, já que o móvel pertenceu a um dos hotéis mais tradicionais da cidade, o Brunswick, que encerrou suas atividades nos anos 1970.

Assim que a porta do móvel foi aberta, Mills encontrou somente alguns papéis amarelados e um monte de poeira. Os documentos, datados de 1977 e 1978, eram parte do dia a dia do hotel, como o bloco de pedidos de uma garçonete e um recibo entregue a um funcionário do estabelecimento, pelo adiantamento de “nove dólares e alguns centavos” do seu salário.

VEJA TAMBÉM: “Os robôs serão melhores que nós”, diz o físico teórico Michio Kaku em entrevista

“Não  como ficar despontado quando você se diverte tanto com o simples fato de abrir um cofre como aquele”, disse Mills. Segundo seu relato, ele não levou menos de minuto para decifrar o enigma de quatro décadas. Como o seletor do cofre ia de zero a 60, ele simplesmente usou os múltiplos de 20 para resolver o mistério. Intuitivamente.

E aí, ficou inspirado(a) para fazer uma fezinha?

 

  • arrow